Crítica: Demolidor - 2ª Temporada

Não havia uma expectativa muito grande em torno de Demolidor (Daredevil), quando a série foi lançada em março do ano passado. A decepção com Marvel's Agents of SHIELD ainda estava muito fresca na mente dos fãs, e o medo de outra decepção vinda dos estúdios da ABC era bem grande. Mas não foi o que aconteceu, a série foi um sucesso de público e de crítica e foi aprovada por todos, deixando a expectativa enorme para o seu segundo ano. O mínimo que a Netflix/Marvel devia fazer era manter a qualidade da série, mas eles se superaram...

Uma das poucas críticas negativas em torno de Demolidor estavam relacionadas a demora que a série teve para engrenar. Seu primeiro ano focou completamente na relação de Matt com Wilson Fisk, e isto foi um pouco cansativo, confesso. Mas em seu segundo ano, os enredos são variados, deixando todos os 13 episódios da temporada em ritmo frenético.

Temos o Justiceiro, que acaba sendo um excelente antagonista nos primeiros cinco episódios da temporada, e serve de forma espetacular como um coadjuvante/principal no resto da temporada. Temos Matt lutando para manter sua empresa ativa, mas lutando contra o seu eu interior, deixando toda a carga para cima de Nelson. A relação de Matt com Karen é outra subtrama da série.

Mas nada chama tanta atenção como a entrada de Elektra no quinto episódio. A personagem trás uma beleza e um tom sombrio para a série que é surpreendente. Não que a série fosse leve, cômica, como os outros projetos da Marvel, mas a entrada da personagem deixa tudo ainda mais sombrio e complexo.

A relação de Demolidor com Elektra não começa das melhores. Os episódios são cheios de flashbacks sobre a vida dos personagens uns 10 anos antes, mostrando como eles se conheceram e tudo mais. Elektra busca os serviços do Matt como advogados, mas na verdade queria os serviços de Demolidor.

As cenas dos personagens quando eles estão lutando juntos são as melhores da temporada. A relação dos atores é excelente, deixando o espirito de realidade muito maior. Elodie Yung foi uma escolha perfeita para interpretar Elektra, e a atriz trás uma realidade para a personagem surpreendente. Depois de 14 anos, os fãs da personagem verão uma versão fiel aos quadrinhos da personagem.

Por ter um ritmo mais rápido, um roteiro bem trabalhado e uma montagem excelente, a segunda temporada de Demolidor é superior a primeira, aumentando a qualidade do programa ainda mais, se isto for possível. É possível ver a temporada inteira em um dia - aqui a prova disto - e ainda desejar mais episódios.

A notícia triste é que a terceira temporada ainda não está confirmada, e caso aconteça, chegará apenas em março de 2017, um ano de espera... Mas se tem uma coisa que podemos garantir, é o seguinte: nenhum segundo será gasto em vão assistindo Demolidor, uma das melhores séries da atualidade!

Nota: 10
Crítica: Demolidor - 2ª Temporada Crítica: Demolidor - 2ª Temporada Reviewed by Maurício Junio on 17:27:00 Rating: 5

Comente com o Facebook:

Tecnologia do Blogger.