Quais os 10 livros mais vendidos de todos os tempos?


A lista de livros mais vendidos da história vem sempre se alterando, mas os dez livros mais vendidos permanecem os mesmos há 14 anos. A lista tem livros conhecidos e clássicos da literatura mundial, e vai de Harry Potter até O Sonho da Câmara Vermelha. Você sabe quais são os livros mais vendidos da história?

10. O CÓDIGO DA VINCI (2003) - 80 MILHÕES DE EXEMPLARES VENDIDOS

"Um assassinato dentro do Museu do Louvre, em Paris, traz à tona uma sinistra conspiração para revelar um segredo que foi protegido por uma sociedade secreta desde os tempos de Jesus Cristo. A vítima é o respeitado curador do museu, Jacques Saunière, um dos líderes dessa antiga fraternidade, o Priorado de Sião, que já teve como membros Leonardo da Vinci, Victor Hugo e Isaac Newton. Momentos antes de morrer, Saunière consegue deixar uma mensagem cifrada na cena do crime que apenas sua neta, a criptógrafa francesa Sophie Neveu, e Robert Langdon, um famoso simbologista de Harvard, podem desvendar. Os dois transformam-se em suspeitos e em detetives enquanto percorrem as ruas de Paris e de Londres tentando decifrar um intricado quebra-cabeças que pode lhes revelar um segredo milenar que envolve a Igreja Católica.

Apenas alguns passos à frente das autoridades e do perigoso assassino, Sophie e Robert vão à procura de pistas ocultas nas obras de Da Vinci e se debruçam sobre alguns dos maiores mistérios da cultura ocidental - da natureza do sorriso da Mona Lisa ao significado do Santo Graal. Mesclando com perfeição os ingredientes de uma envolvente história de suspense com informações sobre obras de arte, documentos e rituais secretos, Dan Brown consagrou-se como um dos autores mais brilhantes da atualidade. 'O Código Da Vinci' prende o leitor da primeira à última página."

09. AS CRÔNICAS DE NÁRINIA: O LEÃO, A FEITICEIRA E O GUARDA-ROUPA (1950) - 85 MILHÕES DE EXEMPLARES VENDIDOS

"Neste livro são narradas as aventuras dos quatro irmãos Pevensie: Pedro, Susana, Edmundo e Lúcia, que fugindo dos bombardeios a Londres durante a II Guerra Mundial, vão até a casa de um professor que morava no campo. Lá encontram, dentro de um guarda-roupa (cuja origem é revelada em O Sobrinho do Mago), uma passagem que liga nosso mundo ao mundo de Nárnia.

Eles chegam a este país que está sendo castigado por um inverno decretado pela Feiticeira Branca, também conhecida como Jadis. Lá eles ficam sabendo duma profecia narniana que dizia que quando dois filhos de Adão e duas filhas de Eva aparecerem e se tornarem reis de Nárnia em Cair Paravel (com a ajuda do leão Aslam), o governo da Feiticeira irá terminar.

Infelizmente Edmundo, tentado pelas promessas da Feiticeira Branca, acaba traindo os próprios irmãos, avisando-a de que seus irmãos estão em Nárnia e que estão procurando Aslam. Mas de qualquer maneira os outros três acabam por encontrar Aslam, além de conseguirem salvar Edmundo da Feiticeira. Como prova de amor, Aslam se oferece em troca de Edmundo para ser sacrificado na Mesa de Pedra, local onde os traidores são entregues à Feiticeira para sacrifício.

Mas a morte não é capaz de vencer Aslam, que revive por ser inocente, conforme ordena a Magia Profunda de Antes da Aurora do Tempo. Então a Feiticeira agrupa seus súditos fiéis para atacar o exército de Aslam, liderado agora por Pedro. Aslam primeiramente vai libertar os narnianos que foram transformados em estátuas de pedra pela Feiticeira em seu castelo, e logo então vai ajudar Pedro na batalha, derrotando definitivamente a Feiticeira e seu exército.

Com a vitória, os quatro irmãos são coroados reis e rainhas de Nárnia em Cair Paravel. Eles governam por muitos anos, iniciando a Época de Ouro. Os quatro irmãos são coroados reis e rainhas, recebendo eles os títulos de: Grande Rei Pedro, o Magnífico; Rei Edmundo, O Justo; Rainha Lucia, A Destemida; E Rainha Suzana, A Gentil.

Eles então reinam durante vários e vários anos, jogando-os na idade adulta ao mesmo tempo em que contemplam Nárnia com um período de paz e prosperidade nunca antes vivido por aquela terra mágica. Tal período foi considerado a "Era de Ouro", ou o "Apogeu" de Nárnia (época, inclusive, em que se passa O Cavalo e seu Menino, quinto volume da série na ordem de publicação ou o terceiro volume na ordem cronológica da série).

Entretanto, o reinado dos quatro irmãos acaba quando, eles, juntos em uma caçada, acabam por encontrar uma passagem no Ermo do Lampião (a mesma que eles usaram para entrar em Nárnia), que acaba os levando de volta ao nosso mundo, de forma acidental. Como o tempo em Nárnia e no nosso mundo são paralelos e correm numa velocidade própria, eles voltam com a mesma idade e exatamente no mesmo dia em que tinham entrado no guarda-roupa, como se tivesse de fato se passado apenas alguns minutos desde que entraram (que para os irmãos pareciam muitos anos). Ninguém ficou sabendo das aventuras deles em Nárnia, a não ser o professor que os hospedou."

08. ELA, A FEITICEIRA (1887) - 100 MILHÕES DE EXEMPLARES VENDIDOS

"Horace Holly, um professor de Cambridge, e o seu pupilo Leo Vincey, juntamente com a colaboração do servo Job, realizam uma viagem a direção a África, seguindo as instruções contidas num fragmento de cerâmica deixado pelo pai de Leo. A aventura leva-os a uma região inexplorada no interior da África, onde eles descobrem o reino perdido de Kôr, habitado pelo povo primitivo Amahagger.

Administrados com dureza pela terrível rainha branca, à qual eles se referem como Ela, os Amahagger decidem sacrificar os intrusos em um ritual de canibalismo. Um ancião da tribo chamado Billali, porém, salva a vida dos três, declarando que estão sobre a proteção de Ela.

Levados à presença de Ela, os aventureiros encontram-se com a magnífica rainha branca, uma feiticeira chamada Ayesha, cuja beleza era capaz de hipnotizar a todos os homens. Vivendo há mais de dois mil anos em Kôr, Ayesha estava à espera do retorno da reencarnação de seu antigo amor, Kallikrates, que ela havia assassinado em um acesso de ciúmes.

Ayesha acredita que Vincey era a reencarnação de Kallikrates e, portanto, deseja que ele se torne imortal e viva com ela para toda eternidade. Entrentanto, inadvertidamente, querendo dotar seu amado de vida eterna, a rainha acaba por desfazer o próprio encanto sobre si, morrendo em seguida, horrivelmente. Antes de desaparecer, porém, Ayesha diz a Vincey "Eu não morri. Eu retornarei."

07. O SONHO DA CÂMARA VERMELHA (1754) - 102 MILHÕES DE EXEMPLARES VENDIDOS

"O tema principal gira em torno de um triângulo amoroso entre a personagem principal, Jia Baoyu, que ama sua prima adoentada Lin Daiyu, porém está predestinado a se casar com outra prima, Xue Baochai. Este triângulo amoroso tem como pano de fundo o declínio do clã (família) Jia, cujos antepassados foram feitos duques, e no início do romance, este clã está entre as mais ilustres famílias na capital.

A história é escrita em chinês baihua (ou chinês vernacular), ao invés de chinês clássico, apesar de seu autor ser bem versado no chinês clássico, e é uma das obras que ajudaram a estabelecer a legitimidade do chinês baihua. Os diálogos são escritos em um dialeto de Pequin vivo com influências do Mandarim de Nanjing, onde a família de Cao Xueqin havia vivido."

06. O CASO DOS DEZ NEGRINHOS (1939) - 105 MILHÕES DE EXEMPLARES VENDIDOS

"A história passa-se numa ilha deserta, situada na costa de Devon. Ela é narrada em terceira pessoa e descreve a vivência de dez estranhos (entre si) que foram atraídos para a mansão da ilha por um misterioso homem e sua esposa que têm as mesmas iniciais: U. N. Owen.

No primeiro capítulo do livro (dividido em oito partes) é relatada a viagem de oito dos dez estranhos que se encontram todos a caminho da ilha. Nesta primeira fase conhecem-se os motivos que as oito pessoas têm de se dirigir à ilha. Na data combinada, os oito chegam no lugar encontrando-se com os criados do casal U. N. Owen: Mr. e Mrs. Rogers. Eles contam que seus patrões, por motivos pessoais, não puderam vir para a ilha, e que os convidados terão de esperar um pouco pela sua chegada.

Mais tarde, quando os hóspedes terminam o jantar, uma voz vinda de um gramofone colocado junto à parede de uma sala contígua faz acusações contra os dez (os oito convidados e o casal Rogers), todas elas envolvendo a morte de alguém.

Amedrontados e indignados com o que acabaram de ouvir, os convidados tentam procurar com Mr. Rogers informações sobre o casal U. N. Owen, mas ele nega com veemência sequer conhecê-los. Eles encontram o disco que tem o nome "O Canto do Cisne". Todos estão assustados e temerosos, com exceção de um deles, um jovem altamente imprudente. Sem maiores dificuldades, todos decidem que a melhor coisa a fazer é sair do local pela manhã. O grande problema é que a única forma de locomoção é um barco que vem do continente, mas que pelo simples fato do mar está agitado não consegue chegar ao local da ilha.


Enquanto estão na ilha, todos vão sendo assassinados. Cada morte segue precisamente ou em parte o que diz um poema emoldurado no quarto de cada um (mostrado abaixo). A medida que as mortes vão ocorrendo, fica claro para os hóspedes que um deles é o assassino e, para piorar a situação, as condições climáticas impedem que eles saiam da ilha ou peçam ajuda."

05. HARRY POTTER E A PEDRA FILOSOFAL (1997) - 107 MILHÕES DE EXEMPLARES VENDIDOS

"Harry Potter cresceu na casa de seus tios, que nunca o contaram a verdade sobre sua família. Ao completar onze anos, Harry começa a receber cartas de um remetente desconhecido, que vão aumentando a medida que seus tios as destroem. Nelas, está escrito que Harry foi aceito na Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts e que, igual a seus pais, tem poderes mágicos.

Em seguida, é descoberto que os Potters não morreram em um acidente de carro, como havia sido dito a Harry, mas sim assassinados pelo bruxo mais temido do mundo mágico, conhecido como Lorde Voldemort. Porém, algo havia ocorrido aquela noite: Voldemort conseguiu matar o casal Potter, mas não conseguiu matar o bebê, perdendo seu corpo físico e deixando uma cicatriz em forma de raio na testa do menino.

Rúbeo Hagrid aparece então para levar Harry a Hogwarts, já que os Dursley o estavam impedindo. Ele ajudou Harry a comprar seus materiais escolares no Beco Diagonal, onde descobriu que é muito famoso entre os bruxos por ter sobrevivido a tentativa de homicídio. Posteriormente, o garoto embarca no trem que o leva até Hogwarts. Lá, ele conhece Ronald Weasley, um menino ruivo filho de bruxos, e Hermione Granger, uma garota nascida trouxa com muitos talentos acadêmicos. Os três se tornam amigos e, mais tarde, se envolvem em uma série de episódios relacionados com um objeto escondido nas profundezas do castelo: a pedra filosofal, um artefato mágico que é capaz de transformar metal em ouro puro e de produzir o elixir da vida eterna. Alguns fatos os fazem acreditar que o professor Severo Snape está tentando roubar a pedra para entregá-la a Voldemort.

Depois de confirmar que o espírito de Voldemort ronda o castelo e que a pedra se encontra em perigo, Harry, Rony e Hermione alertam os professores, mas eles descartam essa possibilidade, dizendo que o objeto está protegido por várias armadilhas em uma câmara subterrânea. Então os três garotos atravessam o alçapão guardado por um cérbero e ultrapassam todos os obstáculos que protegem a pedra. Depois, Harry descobre que o professor Quirinus Quirrell era quem tentava roubar a pedra desde o início para entregá-la a Voldemort (que permanecia como um parasita na nuca do professor). Harry consegue pegar a pedra e Quirrell tenta matá-lo, mas não sobrevive ao encostar no garoto e morre quando Voldemort abandona seu corpo."

04. O PEQUENO PRÍNCIPE (1943) - 140 MILHÕES DE EXEMPLARES VENDIDOS

"A história começa com o narrador descrevendo suas recordações, em que aos 6 anos de idade fez um desenho de uma jiboia que havia engolido um elefante. Quando perguntava o que os adultos viam em seu desenho, todos eles achavam que o garoto havia desenhado um chapéu. Ao corrigir as pessoas sobre seu desenho, era sempre respondido que precisava de hobby mais sério e maduro. O narrador então lamenta a falta de criatividade demonstrada pelos adultos.

Sem incentivos e decepcionado com as reações, ele desiste da carreira de pintor, e se tornou aviador. Durante seu voo, tem uma pane em seu avião no Deserto do Saara. Ao acordar, depois do acidente, se depara com um menino que o autor descrito como tendo cabelos de ouro e um cachecol vermelho, que lhe pede para desenhar um carneiro. O narrador então mostra-lhe o seu antigo desenho do elefante dentro de uma jiboia, e para sua surpresa, o menino interpreta-o corretamente, apesar de estar insatisfeito pois ainda queria o desenho de um carneiro.

Conforme a história passa, o aviador descobre que o menino vive no asteroide B-612, e que só tem uma rosa que fala com ele, e que tem três vulcões, sendo um deles extinto, e que o principezinho assiste quarenta e três pôr-do-sol para se divertir ou quando está triste.

O autor conta um pouco da história dele, a história de como o principezinho havia chegado ao Deserto do Saara, fala de como são as crianças e de como são as pessoas grandes; e envolve o leitor em mais um mistério no capítulo XXVII: que fala que o carneiro que desenhou para o principezinho poderia comer a sua flor."

03. O HOBBIT (1943) - 150 MILHÕES DE EXEMPLARES VENDIDOS

"Os hobbits são seres muito pequenos, menores do que os anões. São de boa paz, sua única ambição é uma boa terra lavrada e só gostam de lidar com ferramentas manuais. Este livro tem como personagem central o hobbit Bilbo Bolseiro. Ele vive muito tranquilo até que o mago Gandalf e uma companhia de anões o levam numa expedição para resgatar um tesouro guardado por Smaug, um dragão enorme e perigoso."








02. O SENHOR DOS ANÉIS (1954) - 155 MILHÕES DE EXEMPLARES VENDIDOS

"Frodo Bolseiro é um hobbit do Condado, que recebe de seu tio Bilbo um anel de rara beleza. Esse anel tem uma longa história: foi roubado de uma criatura chamada Gollum (como relatado no livro O Hobbit), e desde então ele tem sido guardado por Bilbo.

O Mago Gandalf, um velho amigo de Bilbo, percebe o poder que aquele anel possui, não sendo um anel comum, mas sim o Um Anel, artefato mágico forjado por Sauron, o Senhor do Escuro, e que fora perdido numa batalha muito tempo antes. Se recuperado, o Um Anel permitiria a Sauron o domínio definitivo sobre toda a Terra-média. O Um Anel, ou Anel do Poder, dera longevidade fora do comum a seu antigo dono, Bilbo, e possuia consciência, uma vontade própria que o conduzia sempre na direção do seu criador e senhor. Gandalf aconselha Bilbo a deixar o Condado, planejado para ocorrer até a festa de aniversário daquele ano. Gandalf parte, para resolver alguns assuntos, mas combinando que voltaria para acompanhar Frodo, porém, não manda notícias durante vários meses. Chegando a data prevista, Bilbo decide deixar o Condado e deixa tudo para Frodo. Depois de um tempo, Gandalf retorna e convence Frodo a partir para destruir o anel, após vender Bolsão, Frodo leva consigo seus amigos Sam o protagonista, Merry e Pippin para sua aventura."

01. O CONTO DAS DUAS CIDADES (1859) - 200 MILHÕES DE EXEMPLARES VENDIDOS

"A Tale of Two Cities (Um Conto de Duas Cidades, em português) é um romance histórico de autoria de Charles Dickens lançado em 1859; é também um romance que trata de temas como culpa, vergonha e retribuição. A principal fonte para Dickens escrever o livro com fundo histórico é The French Revolution (A Revolução Francesa), de Thomas Carlyle. A narrativa é extraordinariamente dependente da correspondência como meio de avançar o fluxo de acontecimentos, e apesar de não ser uma obra epistolográfica no sentido definido por Les Liaisons Dangereuses (Ligações Perigosas) de Pierre Choderlos de Laclos, percebe-se rapidamente que a troca de correspondências forma um centro impulsionador para a maior parte do desenvolvimento da narrativa. O livro cobre o período entre 1775 e 1793, da Independência americana até o meio do período da Revolução francesa."
Quais os 10 livros mais vendidos de todos os tempos? Quais os 10 livros mais vendidos de todos os tempos? Reviewed by Maurício Junio on 15:11:00 Rating: 5

Comente com o Facebook:

Tecnologia do Blogger.