Devemos mesmo separar a vida pessoal da vida profissional de um famoso?


Nos últimos anos algumas polêmicas tomaram conta da internet, algumas com motivos, outras nem tanto. E entre algumas polêmicas tivemos revelações chocantes, como ator internacional batendo na esposa, ator cotado ao Oscar assediando funcionária e uma atriz que roubou uma loja de conveniência. A diferença entre os três casos é que apenas um deles destruiu a carreira pública da pessoa. Advinha qual?

Não, este não é um texto sobre machismo - mesmo grande parte das polêmicas estarem ligadas a isto. Este é um texto sobre como Hollywood passa a mão na cabeça de famosos, homens, quando eles cometem um erro.

Vamos colocar alguns exemplos em pauta:

- Johnny Depp foi acusado, com vídeos, imagens e pessoas como acusações, de agredir a sua ex-esposa. Seus advogados entraram contra a atriz e obrigaram a mesma a aceitar um acordo milionário para retirar todas queixas dele. Hoje de madrugada, o ator ganhou um People Choice Awards, como Ícone do Cinema.

- Casey Affleck, que até algumas semanas atrás era um favorito ao Oscar de Melhor Ator, teve algumas noticias desenterradas pelos maravilhosos seres que habitam esta internet que usamos todos os dias. Nas noticias, os tabloides informam que o ator - na época alguém não muito famoso - foi denunciado por duas mulheres de deitar com elas sem a permissão das mesmas.

Por outro lado, temos alguns exemplos não muito bons:

- Winona Ryder ficou sendo boicotada por quase 15 anos após roubar uma loja de conveniência. Neste meio tempo ela teve apenas dois grandes trabalhos em Hollywood: uma coadjuvante em Cisne Negro, onde atuou brilhantemente, mas foi ignorada, e em Stranger Things, finalmente indicada ao Globo de Ouro como Melhor Atriz em Série Dramática. 15 anos, pessoas.

- Nate Parker, diretor do até então favorito ao Oscar O Nascimento de Uma Nação, foi boicotado após uma noticia de 2000 ligá-lo a um caso de estupro. Ele foi inocentado na época, mas em 2012 a garota cometeu suicídio, podendo ter alguma ligação com o ator/diretor.

Mas veja bem, esta não é uma postagem para defender estupradores ou agressores, completamente ao contrário. Queríamos levantar uma questão que precisa ser discutida: porque homens negros e mulheres que erram são boicotados e homens brancos são inocentados? Porque todos não são culpados na medida da seriedade de seus crimes?

Sem falar que em comparação com um estupro, uma agressão e um assédio, o caso de Winona Ryder é praticamente inexistente. Colocamos ele nesta discussão justamente por não ser nada sério em comparação com outros casos, como o do Depp e do Affleck, A forma de Hollywood incriminar atores brancos e são premiando os mesmos como melhores atores do ano.

Mas nem todos aceitam isso calados, ou felizes. Olha a cara da Brie Larson após entregar o prêmio de Melhor Ator no Globo de Ouro neste mês:


Mas a gente precisa separar a vida pessoal da vida profissional, não é mesmo? 
Devemos mesmo separar a vida pessoal da vida profissional de um famoso? Devemos mesmo separar a vida pessoal da vida profissional de um famoso? Reviewed by Maurício Junio on 15:09:00 Rating: 5

Comente com o Facebook:

Tecnologia do Blogger.